Crutchlow: "sou o melhor do mundo em condições mistas"

Após vencer, Cal Crutchlow diz que se sente o melhor piloto do mundo em uma pista que mistura molhado e seco, como foi em Brno

Lidando com a escolha de pneus, Cal Crutchlow saiu da 15º posição nas primeiras voltas para conseguir sua primeira vitória na MotoGP, no que foi o primeiro triunfo de um piloto britânico na categoria desde Barry Sheene in 1981.

A conquista aconteceu um mês depois do piloto da LCR Honda chegar em segundo em Sachsenring, atrás de Marc Márquez. Naquela prova, Crutchlow lamentou não ter entrado no pit mais cedo para a troca pela segunda moto. Acreditava que isso lhe custou a chance de lutar pela vitória. 

Perguntado se sentia ser o melhor do mundo em condições mistas após a vitória em Brno, ele respondeu: “Sim, vimos isso em Sachsenring. Assim que começou a secar eu apareci”. 

“Também acho que no molhado eu sou um dos melhores. Mas normalmente escolho pneus diferentes dos outros pilotos e trabalho a prova de uma maneira distinta”.  

“Em Silverstone, no ano passado, estava totalmente molhado e escolhi macio-macio. Achei que ia chegar na frente (antes de ser tocado e tirado da prova pelo então companheiro de equipe Jack Miller). Acredito que sim, talvez eu seja o melhor no molhado”. 

“Se mais alguém tivesse corrido com pneu duro na frente (em Brno), talvez houvesse alguma concorrência”. 

Loris Baz e Tito Rabat eram os únicos outros pilotos que correram com a combinação duro-duro, enquanto o segundo colocado, Valentino Rossi, usou duro atrás, mas macio na frente”. 

‘Miller poderia ter me ameaçado’

Crutchlow acrescentou que se Jack Miller, que ficou fora da prova em Brno por causa de um acidente na semana anterior na Áustria, estivesse na pista, seria sua aposta no GP da República Tcheca. 

“Eu teria tido uma missão bem mais difícil se (Miller) estivesse na corrida. Dez minutos antes da largada ele disse que teria escolhido duro-duro. Sei que teria sido uma batalha pois ele teria apostado nisso também”.  

E para o britânico de 30 anos de idade, se a corrida tivesse sido no seco ele sofreria bastante para terminar abaixo da sétima colocação. 

“No seco eu provavelmente seria sétimo. Tenho de ser realista. Essa é a posição em que acredito que chegaríamos. Talvez sexto, se alguém cometesse algum erro. Mas você precisa aproveitar a oportunidade quando ela aparece. Precisa acreditar em você e ser confiante. Eu estava confiante na minha escolha de pneus e no que estávamos fazendo. Você precisa acreditar que é o melhor do mundo naquele dia, caso contrário não vai vencer”.   

 

motogp-czech-gp-2016-cal-crutchlow-team-lcr-honda.jpg

Pista da MotoGP na Finlândia é projetada para evitar cortes

Alexander Wurz, cuja empresa ajudou no design do circuito, diz que desenho foi ajustado para impedir abusos

Participando com sua empresa da construção da pista da Finlândia, que sediará a MotoGP em 2018, o ex-piloto Alexander Wurz falou que o KymiRing será projetado em seus 4.560 metros para evitar que os pilotos ganhem vantagem utilizando áreas de escape de asfalto.

O objetivo é deixar a pista o mais desafiadora possível sem comprometer a segurança.

“Nem os fãs e nem os pilotos gostam do abuso dos limites de pista, e temos tido discussões sobre isso”, explicou Wurz.

“Enquanto a segurança for primordial na nossa sociedade moderna, temos de proteger as corridas e seu aspecto emocional. Com o KymiRing tomamos muito cuidado para projetar as curvas e as áreas de escape. Não comprometemos a segurança, e o abuso dos limites de pista não será um benefício.”

Soluções híbridas

Wurz disse que avalia soluções híbridas para as áreas de escape, o que deve impedir os pilotos de tomar liberdades para deixar seus tempos de volta mais rápidos.

“As áreas de escape já estão calculadas e definidas em sua forma, no entanto ainda estamos planejando o tipo de áreas de escape que colocamos em cada curva”, disse ele.

“Estamos trabalhando em algumas versões híbridas que combinam os benefícios de asfalto e brita. Igualmente, gostaríamos de usar grama, não apenas para o efeito visual, mas como um impedimento natural para limites de pista.”

“Nosso objetivo, em ter curvas e linhas claramente definidas é limitar qualquer vantagem através do abuso dos limites de pista, reduzindo assim a necessidade da discussão permanente.”

Pista montanha-russa

Wurz garantiu que a paisagem do KymiRing, que fica a nordeste de Helsinki, foi totalmente utilizada para criar um layout espetacular.

“No momento que eu vi a propriedade, ficou claro que o KymiRing seria uma pista única e especial”, disse ele.

“A paisagem é bastante desafiadora para a concepção. Juntamente com Timo Pohjola (CEO do KymiRing), tivemos grande cuidado para trabalhar organicamente e não apenas com o layout de montanha-russa da pista, mas também com as áreas de espectadores.”

“Nossa prioridade era mudar o mínimo possível da topografia para criar uma pista fluída. É importante que o KymiRing seja instantaneamente reconhecível para o telespectador como para o finlandês.”

1471984287_motogp-czech-gp-2016-jorge-lorenzo-yamaha-factory-racing.jpg

Vettel participa da Corrida dos Campeões em Miami

Pela primeira vez, evento acontece nos Estados Unidos e terá estádio do Miami Marlins como palco

O Race of Champions (ROC) vai aterrissar pela primeira vez nos Estados Unidos. O evento que acontece desde 1988 – e reúne nomes fortes da Fórmula 1, WEC, NASCAR, IndyCar e outras séries – estará no Miami Marlins Park, estádio do time de beisebol da cidade, com capacidade para 37 mil pessoas, nos dias 21 e 22 de janeiro de 2017.

Uma das participações já confirmadas é a de Sebastian Vettel, vencedor do ano passado.

“Estou muito feliz por ter finalmente vencido ROC no ano passado no Estádio Olímpico de Londres e estou ansioso em defender meu título em Miami.”

“Todos os pilotos são fortes e os melhores pilotos norte-americanos da NASCAR e da IndyCar certamente estarão mais motivados em vencer em casa, agora que o evento está sendo realizado em seu país pela primeira vez.”

“Esta também será a primeira vez o ROC será realizado em um estádio de beisebol por isso estou curioso para descobrir o novo desenho da pista. Mas, como sempre, é a mesma trilha e carros idênticos para todos, portanto, apenas a habilidade do piloto fará a diferença.”

A Corrida dos Campeões será divida em dois dias, sendo que no dia 21 (sábado) as competições individuais darão o tom da disputa. No dia seguinte, os pilotos se juntarão aos seus compatriotas para definir qual é a nação mais rápida do mundo.

Outros astros já confirmados são Kurt Busch, da NASCAR, e Ryan Hunter-Reay, da Indy.

 

Kurt Busch e Ryan Hunter-Reay com o presidente do Race of Champions, Fredrik Johnsson

Photo by: Eric Gilbert