Punição de Hamilton sobe para 55 posições após nova troca

Britânico muda componentes pela oitava vez antes de terceiro treino livre em decisão estratégica da Mercedes

A penalização de grid de Lewis Hamilton subiu de 15 posições na última sexta para incríveis 55 neste sábado. Em uma decisão estratégica para maximizar o número de componentes disponíveis para o resto da temporada, ele trocou mais do que precisaria para o GP da Bélgica em Spa.

Ainda na última sexta-feira o piloto trocou por duas vezes o turbo compressor e o MGU-H de seu carro, totalizando já 30 lugares perdidos.

Neste sábado o piloto trocou pela oitava vez o turbo e o MGU-H, e pela sexta o MGU-K e seu motor à combustão. Assim sendo, o piloto tem agora mais 25 posições de penalidade, totalizando ao todo 55 posições.

Deste modo, fazendo estoque de componentes, a Mercedes espera fazer com que Lewis não tenha mais punições pelo resto do ano. A grande penalização fez Hamilton priorizar durante todo este final de semana seu ritmo de corrida em detrimento da velocidade em classificação.

Outros punidos por mudanças nos motores neste final de semana foram Fernando Alonso (35 pos.) e Marcus Ericsson (10 pos.).

f1-belgian-gp-2016-lewis-hamilton-mercedes-amg-f1-w07-hybrid.jpg

Pilotos se preparam para desafio do desgaste de pneus


As temperaturas em Spa-Francorchamps neste fim de semana estão maiores do que se esperavam e isso significa mais problemas de degradação dos pneus.
Os treinos desta sexta-feira confirmaram o desgaste excessivo e significa que as equipes terão que se preparar para uma dura estratégia para decidir quais compostos utilizarão na classificação e na corrida.
Valtteri Bottas falou sobre o … Continue lendo

f1-belgian-gp-2016-daniel-ricciardo-red-bull-racing-rb12.jpg

Force India confia na permanência de Perez em 2017

Diretor da equipe, Bob Fernley está convencido de que mexicano ficará no próximo ano, apesar do piloto insistir que ele e seus parceiros ainda decidirão sobre o futuro

Sergio Perez assinou um novo contrato há algumas semanas, mas os acordos de patrocínio que andam de mãos dadas com ele ainda não foram finalizados.

“A principal coisa é que os contratos de piloto estão assinados, mas na espera, e com Checo existem alguns acordos comerciais bastante sofisticados”, disse Bob Fernley, diretor da Force India ao .

“Esta questão tem que ser concluída e você só pode fazer isso quando você tem os contratos de piloto, dessa forma, as discussões estão em andamento.”

“Eu não vejo nenhuma possibilidade que não a da permanência de ‘Checo’ conosco, e esperamos que os parceiros também fiquem com a gente.

“Ofertas comerciais são acordos comerciais e cada pessoa tem que fazer o melhor que puder nestes preparativos. É bastante sofisticado, com Checo, e há uma série de patrocinadores que estão ligados com o programa mexicano, por isso leva tempo.”

“Essas pessoas, ou certamente algumas delas, estavam muito amarradas com os Jogos Olímpicos, por isso não houve discussões nas últimas semanas. Eu suspeito que isso se resolva em setembro.”

Fernley diz que a equipe não está decepcionada com o fato de Perez ter falado tanto sobre a possibilidade de deixar o time na mídia.

“Nós não nos ofendemos com qualquer coisa. É bastante justo e adequado que ele queira fazer o melhor que pode, e nós também. Essas coisas levam tempo.”

Fernley insiste que a equipe não tem um plano B no caso da saída de Perez.

Eu acho que seria totalmente inapropriado. Temos um contrato com Checo e seria completamente errado estarmos discutindo qualquer coisa com os outros pilotos.”

“Não vejo razão para o negócio não será feito, então para mim, isso não é algo que temos que nos preocupar nesta fase.”

f1-hungarian-gp-2016-sergio-perez-force-india-f1-team.jpg